Para o topo
Farofa Magazine
Farofa Magazine
página inicial » Editorial »

Buscar alimento onde sobra, levar a quem falta

19/10/2017

por: Fran Micheli
Buscar alimento onde sobra, levar a quem falta
Fotos: Tereza Cipriano

Você sabia que o Brasil é um dos 10 países que mais desperdiçam comida no mundo, jogando no lixo, anualmente, mais de 41 mil toneladas de alimento? A constatação assustadora veio com um estudo feito em 2016 e coordenado pelo departamento de Mudanças Climáticas do World Resources Institute (WRI) Brasil.

Em Ribeirão Preto, cidade cuja noite fervilha entre bares e restaurantes, e abastece quase 700 mil pessoas com centenas de supermercados e varejões, a situação não poderia ser diferente. Porém, o problema do desperdício de alimentos tem sido combatido na fonte, em trabalho de formiguinha.

Busca e leva

Implantado em Ribeirão Preto em 2014, o programa Mesa Brasil é uma iniciativa do SESC São Paulo e atua em todo estado. Na prática, são caminhões que buscam produtos próximos à validade ou fora dos padrões de comercialização (porém ainda bons para consumo), e que depois encaminham o que foi arrecadado para entidades assistenciais. Vale legumes, frutas, verduras e alimentos industrializados. Tudo pode ganhar um novo destino e ser aproveitado.

Dois caminhões transitam diariamente pelas ruas de Ribeirão fazendo este trabalho. Funcionários do Sesc são responsáveis pelo cadastramento de doadores e entidades receptoras, pelo transporte, acompanhamento e por uma seleção rigorosa dos produtos.

A Patrícia Martins Domingos, coordenadora do programa em Ribeirão, explica que são selecionados apenas produtos que estão aptos ao consumo humano, ou seja, itens com traços de bolor, furos, que estejam cortados, passados do ponto ou que já foram manipulados ou preparados, não são aproveitados.

“Não somos um banco de alimentos, não fica nada pra gente. Trabalhamos com o sistema que chamamos de Colheita Urbana, colhemos e entregamos tudo no mesmo dia. Os alimentos sempre precisam ser consumidos rapidamente”, diz.

Quem doa, quem recebe?

Atualmente, os alimentos são coletados em 30 doadores, entre supermercados, varejões e indústrias. São 15 toneladas de comida levadas mensalmente a 59 instituições entre creches, núcleos de assistência a dependentes químicos, asilos, casas de apoio a pessoas em situação de vulnerabilidade social, entre outras. Ao todo, 7.700 pessoas têm refeições balanceadas e de qualidade com produtos desprezados pelo varejo.

De acordo com Patrícia, a expectativa é aumentar potencialmente esses números, tendo em vista que o programa ainda está em fase de divulgação. “Vamos pessoalmente nos estabelecimentos, explicamos como o Mesa Brasil funciona. Sabemos que nosso trabalho é complementar a alimentação das pessoas necessitadas com qualidade e dignidade, acima de tudo. Temos muita vontade de crescer, o trabalho é de formiguinha mesmo”.

Além disso, o programa também promove workshops e oficinas de capacitação de cozinheiros das instituições atendidas. Esses profissionais aprendem a reutilizar cascas, sementes e sobras de refeições para preparar novos pratos com criatividade e sabor.

Uma das entidades atendidas é a Casinha Azul, que oferece atividades educativas a 140 crianças em horário contra escolar, no Parque dos Servidores. Gabriel Montanheri Balalio, coordenador de atividades, conta que metade da alimentação preparada vem do Mesa Brasil.

Ele ainda explica que o programa avaliou o perfil da instituição e encaminha produtos adequados para aquele público, fazendo com que tudo seja 100% aproveitado de forma inteligente. “As crianças aqui puderam experimentar iogurte grego, por exemplo, que é algo cujas famílias nunca poderiam comprar no supermercado. Elas adoram, ficam numa felicidade só”.  

Se a doação é de muitos quilos de berinjela, no caso, as cozinheiras do Sesc criam receitas mais palatáveis às crianças e enviam à instituição. Em vez de um serviço mecânico de doação, todo o processo é acompanhado, fiscalizado e orientado de maneira humanizada, focando nas necessidades de cada ponto de recebimento.

COMO PARTICIPAR

Para participar do programa Mesa Brasil como doador, basta se cadastrar neste link QUERO DOAR. Para incluir uma instituição assistencial, CONHEÇA AS REGRAS e entre em contato com o Sesc Ribeirão pelo 0800.771.7716 ou pelo email mesa@ribeirao.sescsp.org.br.

Sugestões da casa:

 

Editorial
Quanto custa o cafezinho em Ribeirão Preto

Quanto custa o cafezinho em Ribeirão Preto

O café é uma locomotiva. Logo cedo, apita a vontade de nos encher de energia. Depois que ganhou o mundo, a bebida de origem árabe está por todas as mesas e balcões, de cafeterias requintadas ao boteco no bairro simples.
11/08/2017
Editorial
Meliponicultura: a ascensão do mel de origem

Meliponicultura: a ascensão do mel de origem

Méis especiais ganham espaço maior no mercado, valorizando pequenos produtores e dando mais sabor às criações culinárias
08/08/2017
Editorial
Ribeirão Preto e cerveja: Em um relacionamento sério há 130 anos

Ribeirão Preto e cerveja: Em um relacionamento sério há 130 anos

Ao todo, faz 130 anos que a economia da cidade é transformada por um mercado de altos e baixos, com histórias intrigantes que envolvem política, rivalidade e disputa pelas águas cristalinas do maior aquífero do mundo.
09/11/2016
Comente aqui:
Voltar para a página anterior
download edição atual
FAROFA #01
artigos

Bia Amorim

Bia Amorim

Almoço Entre Cafés e Fermentos

Bia Amorim

Bia Amorim

1 º Episódio do Reality Mestre Cervejeiro

Redação

Redação

Reality Show Eisenbahn Mestre Cervejeiro estreia na TNT



saiba antes, saiba mais: