Para o topo
Farofa Magazine
Farofa Magazine

Como é ser mulher no mercado cervejeiro

Por: Bia Amorim

25/06/2018
Como é ser mulher no mercado cervejeiro

Foto: Gerry Juwono via Unsplash

Essa deve ter sido a frase mais perguntada nos últimos anos de mercado cervejeiro para mulheres que chegavam ao setor artesanal. “Como é trabalhar em um mercado tão masculino? ”

Muito políticas, falamos sobre os desafios. Contamos a história das deusas do passado, da mudança social com a Industrialização. Das receitas caseiras de nossas avós, a técnica aliada a culinária e biografia. Abusos que pareciam comuns em outras épocas, vitórias com menos propaganda com o corpo feminino. A vontade de que tudo isso um dia seja só conto em revista.

Mas ninguém pergunta como é SER mulher no mercado cervejeiro. Pensei então em muitas frases que uma mulher cervejeira poderia falar ou até em conversas e pensamentos secretos, que nos diferenciam do trabalho dos homens na cerveja.

 “Aborrecida nível Gueuze.”

“Visivelmente um pint de Stout parece o buraco negro que me meti com as contas do cartão. Mas MUST aquele par de Samuel Adams lindo, outfit de sala de brasagem. ”

“Tão na TPM que estou tomando até cerveja com aroma artificial de chocolate. ”

“Fiquei menstruada, coloquei o absorvente interno e fui brassar. ”

“O exame de gravidez acusou que mesmo as Sessions um dia terão que esperar. ”

“A primeira cerveja depois que seu filho vai dormir é realmente relaxante. ”

“Essa louça pode esperar minha IPA acabar. ”

“Gato, pega uma cerveja na geladeira, porfa.”

“Não comprovei que as Malzbier ajudam no leite das crianças”

“Escola Cervejeira Alemã é o próximo tema para a confra, vamos citar  Hildegard von Bingen e sua história com o lúpulo e escritas sobre o orgasmo!”

“De calcinha e sutiã, sem aro de preferência, assim como sem pasteurizar minha cerveja. ”

“Estamos nos unindo para falar sobre as leveduras e os processos de fermentação que passamos internamente e metaforicamente sobre o machismo no setor. ”

“Vamos metabolizar sobre isso....”

“Inveja daquele vestido com SRM 20,3 que a fulana tava no Festival BJCPSPBR. ”

“Pudim com furinho ou sem furinho para a Dubbel?”

“Nível de irritação 120 IBU´s e não duvide que consiga subir esse sarrafo!”

Responder com: Luta. Cotidiano. Ensinamento. Enfrentamento. Pode parecer demasiadamente chato.



Bia Amorim
Bia Amorim
Mais artigos deste autor

Comente aqui:
Voltar para a página anterior
download edição atual
FAROFA #3

saiba antes, saiba mais:

artigos

Taís Suhre

Taís Suhre

Quebrando os padrões

Sabrina Cyrillo Medella

Sabrina Cyrillo Medella

Tudo que não te contaram sobre os Base-Planta!

Marcia Daskal

Marcia Daskal

Comer melhor em 2020

Bia Amorim

Bia Amorim

Quando meu marido me pede uma cerveja

Bia Amorim

Bia Amorim

Uma cerveja para cada momento

Gabriel Castaldini

Gabriel Castaldini

Chega de alface!