Para o topo
Farofa Magazine
Farofa Magazine

Vegetais & veganos, a turma das verduras do bem

Por: Bia Amorim

29/07/2019
Vegetais & veganos, a turma das verduras do bem

Espinafre. Foto:Heather Gill via Unsplash

“Libertemos devagar a terra onde acontecem milagres” José Saramago

Nunca fui adepta a comer coisas verdes escuras. Quando era criança meus pais sabiam que era necessário e assim foi. Eu comi. Gostei. Hoje adoro. Às vezes é apenas isso que eu posso comer. Nem só de pastel vive um sommelier. Mas a vida por si só pode ser amarga demais a encarar.

Se eu soubesse que ser adulto era tão cheio de responsabilidades, burocracias e boletos, eu tinha comido folha de mostarda logo cedo. Acostumava rapidinho. Ouvi dizer que ajuda a limpar o fígado. Aquele órgão que você guarda sua raiva.

Folhas amargas tem vitaminas A, C e K. Uau. Mas sabia que couve é realmente gostosa? Todo brasileiro come a couve na feijoada. Com um azeitinho até crua eu curto. Descobri que é inclusive fácil de plantar. Arrumei um pedacinho no jardim e lá estava meu pé de couve, todo compartilhado com as lagartas que iriam virar lindas borboletas nas flores de casa. Compartilho, feliz.

Endívia tá é meu saldo bancário. Nem mesmo com FGTS eu vou me alegrar. Vou mesmo é temperar bem a salada. Quem sabe mel não seja uma boa agora. Matematicamente eu apenas pingo algumas gotas, aproveitando que ainda existem abelhas. Amargas foram as notícias de desmatamento. Só desta semana. Dias atrás eu olhei a situação, ridícula. Comprei um maço de rúcula.

Dente de leão eu refoguei semanas atrás, quando declarei o imposto de renda. Me sinto mesmo imposta a fazer sucesso, com as folhas verdes. As verdinhas. Arrumar a vida porque a escola tá cara e o plano de saúde subiu de novo. Nem fiz 40 e a gastrite é uma palavra que chegou no vocabulário da rotina. Tá caro ficar doente. Desse jeito não vai sobrar nem nabo para tomar no rabo.

A chicória da sociedade está lá, andando de faixa. Acha que é aspargos, astuto. É só amargo, não traz nutrientes, nem diurético é. Eu rezo. Amar.anto. Amaranto. Eu queria me mudar para Bruxelas e não apenas ficar com a couve.

Vamos lá que o anfitrião desse brasilzão tem gosto de agrião. E não vai sobrar nenhum grão.



Bia Amorim
Bia Amorim
Mais artigos deste autor

Comente aqui:
Voltar para a página anterior
download edição atual
FAROFA #02

saiba antes, saiba mais:

artigos

Luiz Horta

Luiz Horta

O testamento de um enochato

Bia Amorim

Bia Amorim

Quando floriu o cafezal

Bia Amorim

Bia Amorim

Diversity in the beer market

Bia Amorim

Bia Amorim

Pense por um minuto apenas. E se o mundo não tivesse IPA e Burger?