Para o topo
Farofa Magazine
Farofa Magazine
página inicial » Editorial »

15 personalidades da gastronomia escrita e falada além dos fogões

10/10/2019

por: Bia Amorim
15 personalidades da gastronomia escrita e falada além dos fogões
Cathryn Lavery via Unsplash

Foi no dia 14 de janeiro de 2019 que comecei a escrever esse texto. Por algum motivo besta, não lembro qual, ficou engavetado nos meus arquivos, até que na segunda-feira dia 7 de outubro, tivemos a triste notícia de que perdemos Nina Horta.

Fiquei tão comovida, que resolvi tirar a poeira desse texto. Procurei nas milhares de pastas desorganizadas, tais qual a minha estante cheia de livros de gastronomia. Nada é organizado por cor ou estilo ou categoria. Eles (os livros) se movem e vão e vem conforme a curiosidade sobre o tema em voga, o sentimento de que preciso buscar ajuda. Vou aos “outros” pedir conselho nas linhas alheias. E eu voltei neste texto porque merecemos compartilhar mais conhecimento, mais inspirações e a Nina sempre nos inspirou a isso. Com ela, trago os nomes que mais eu leio e me inspiram nos dias atuais.

Artigos, matérias, crônicas e opiniões bem fundamentadas são obrigatórias nos dias de hoje, onde qualquer pessoa chama a atenção em sua pequena tela pessoal. Marcas da pequena ou da grande indústria tem uma legião de fãs, mas quase sempre vinculados as pessoas que são experts em entretenimento, muitas vezes, mais do que o assunto em si.

Escolhi esses quinze nomes porque estou sempre atenta sobre o que dizem no âmbito gastronômico, cultural, artístico, profissional, jornalístico, social, econômico, filosófico e sociológico. Fiz uma lista conforme ia lembrando ou acessando ou sendo impactada nas mídias sociais e livros e artigos e jornais. O século XXI está em formação e somos parte dessa história que se escreve todos os dias, em ciclos. Sobre a nossa própria história. Você está acompanhando ou apenas deixando a onda te levar?

Organizei por ordem alfabética:

  1. Ailin Aleixo – Jornalista

Do site Gastrolândia e do canal no YouTube Por Trás do Kg. Ailin é uma jornalista respeitada e que a lista de participações em projetos, revistas e sites legais é bastante longa. Seu mais novo projeto é a Mezón, uma agência de fomento a ONGs e Empresas Sociais ligadas ao alimento.

Ailin Aleixo em Palestra. Imagem Gastrolândia/divulgação

Reportagens, notícias e opinião estão sempre em constante reciclagem.

AQUI, AQUI, AQUI

Instagram

Twitter

  1. Ana Holanda

Editora da revista Vida Simples, Ana é uma jornalista que compartilha seu saber. Fala muito bem sobre gastronomia e ensina sobre escrita criativa. Bastante generosa em seus textos, consegue nos abrir uma janela amorosa no olhar. Seu livro Minha mãe fazia, são crônicas saborosas de se ler, sobre uma memória e uma cozinha.

Ana Holanda em seu habitat natural =). Foto: Divulgação

Instagram 

Site 

Linkedin

  1. Carlos Alberto Doria – Sociólogo

Sou fã dos textos do Dória. Muitas vezes é preciso que eu leia duas, três vezes até entender direitinho a sua linha de raciocínio ou contexto, dado de forma tão culta. No blog e-boca livre, você pode ler diversos textos que ele publica ao longo dos anos, com alguma frequência.

A lista de livros não é pequena e todos são recheados de boas histórias, pesquisas importantes e o retrato de um Brasil saboroso, que segue uma linha de escritores importantes que tivemos, como exemplo Câmara Cascudo.

Carlos Alberto Dória. Foto: Divulgação

  • Estrelas No Céu Da Boca. Escritos Sobre Culinária E Gastronomia
  • Com Unhas, Dentes E Cuca. Prática Culinária. E Papo-Cabeça Ao Alcance De Todos
  • Culinária materialista
  • E-Boca Livre
  • Formação da Culinária Brasileira
  • A Culinária Caipira da Paulistânia

Dória está sempre trazendo a discussão para a culinária atual, de maneira que a consciência venha antes da garfada. Foi ele quem editou as revistas A Ciência Na Cozinha - Hervé This e Os Fundamentos da Gastronomia Molecular, da Scientific American Brasil, de 2011. Ganhei a coleção da minha mãe e fiquei impressionada com as modernidades que pareciam vir, e vieram.

Blog

Instagram

  1. Cristiana Beltrão – Empresária

A Cris vem de uma família de pensadores. Ela faz dos ambientes por onde passa história. Como viaja muito a trabalho, fazendo um lindo trabalho de divulgação da sua marca Bazzar (que vende sabores brasileiros ao mundo todo), está sempre compartilhando o mundo como ela percebe, cheio de sabores. O restaurante, Bazzar também, que ela comanda no Rio de Janeiro é um caso à parte, onde quem vai também pode criar uma narrativa sobre a experiência.

Cris Beltrão. Foto: Divulgação

Mais do que isso Cris está sempre escrevendo sobre o presente e o futuro e tem falado em palestras no Museu do Amanhã, para públicos diversos sobre o assunto, alimentação e futuro. Estreou faz pouco tempo uma coluna nas páginas da revista Época.

Na primeira edição da Farofa Magazine impressa, tivemos de presente um artigo dela para estrear AQUI

Twitter

Blog

AQUI 

Instagram

  1. Helo Luppinacci – Jornalista

Helo é colunista no Paladar Estadão e também editora da área digital do Panelinha (@panelinha, da Rita Lobo) e também se auto declara “blogueira bissexta no Caracteres, que nem arroba tem, mas é uma gracinha."

Foto linda do Facebook da Helo.

Apaixonada pelo tema gastronomia, sempre tem uma visão sobre o setor e está disposta a compartilhar opiniões.

Twitter

  1. Jota Bê – Crítico

“Kill all foodies” é como as pessoas são recebidas em suas mídias sociais. Se você é do tipo que defende a palavra gourmet e é fã do Paris 6, talvez não seja indicado entrar para ler o que o JB escreve. No seu antigo blog Edifício Tristeza, seu jeito idiossincrático de escrever traz verdades doloridas e feridas abertas.

A foto peguei de um texto do Danilo Nakamura no Edifício Tristeza (aqui)

JB tem quatro livros:

Dias de Feira (Companhia das Letras 2014), Edifício Tristeza (Realejo Livros 2018) e uma troca de cartas com o amigo Eduardo Goldenberg denominada como De hoje não passa (Mórula Editorial 2019). O último e recente lançamento é o livro mais conectado a coquetelaria, A mão que balança o copo.

Youtube

+ AQUI

Blog

Twitter

  1. Luiz Américo Camargo – Jornalista

Um jornalista padeiro e um padeiro jornalista. Talvez Luiz seja ambas as coisas, tendo construído uma vasta experiência na gastronomia, vivenciando ela por meio da escrita e trabalhos. Consultor gastronômico, palestrante e curador de um dos mais saborosos eventos de gastronomia de São Paulo, o Taste of São Paulo, desde 2016. Manteve durante algum tempo escritas no jornal El Pais.

No Youtube do Panelinha, falando sobre pães. 

Luiz tem importância ímpar, pois ajudou a fundar o que durante muito tempo funcionava nas páginas impressas do Estadão, o caderno Paladar. Escreveu até agora 3 livros, sendo um com suas publicações de textos em uma coletânea e outros dois sobre panificação, sendo o Pão Nosso, uma riqueza nos tempos em que chegou. Ensina de uma forma carinhosa a você fazer um pão digno de boa crítica pelos mais críticos. São eles:

Instagram

Youtube

  1. Luiz Horta- Jornalista

Nunca o vi de perto, mas sigo de longe, pelas mídias sociais e  sempre acompanho seu humor, histórias e pensamentos que compartilha. Luiz Horta é uma pessoa extremamente culta. Fala francês, algo que para mim é sublime (e estou sempre tentando aprender algo). Escreve sobre vinhos com uma naturalidade que parece que nasceu em Bordeaux, olhando a bebida não como sommelier, mas como apreciador, faz parecer que o vinho é parte da companhia. Mas é na parte política e na opinião sobre as coisas simples do dia a dia que eu me atento. Ele gosta de pão como eu. As vezes prefere mudar de calçada a encontrar um conhecido. Coisas únicas em personagens como ele, sempre ilustrado pelo Daniel Kondo.

Luis Horta. Ilustração Daniel Kondo.

Teve coluna na Folha de SP, no jornal O Globo e no Paladar do Estadão.

Agora Luiz tem uma newsletter, novinha que pode ser acessada por todos nós mortais. AQUI

Na segunda edição da revista impressa da Farofa Magazine, Luiz escreveu um divertido artigo sobre os enochatos AQUI.

Instagram

  1. Marcelo Katsuki – Jornalista

Apaixonado por gastronomia, arquiteto por formação, Katsuki começou a trabalhar na Folha de SP e acabou naturalmente caindo no Comer & Beber. Lá ele escreve diversas notícias, visita muitos restaurantes e é um dos poucos que conta das novidades do mundo gastronômico, mas com tom leve, para aqueles que gostam de comer e estão sempre procurando conhecer coisas novas.

Marcelo Katsuki. Foto Facebook pessoal

Também foi colunista da revista Prazeres da Mesa, crítico na revista São Paulo e acabou se formando em gastronomia na faculdade e também é sommelier, além de sempre fazer cursos relacionados. Uma pessoa que escreve e respira comidas e bebidas na rotina.

Instagram

Twitter

  1. Marcos Nogueira – Jornalista

Cozinha Bruta é daquelas páginas que em geral está provocando a memória afetiva de alguém, para o lado bom e o lado ruim. Vira e mexe tem gente chateada que ele, uma das últimas publicações é “Só roqueiro burro paga R$ 20 por esfihas do Habib’s no Rock in Rio”. Uma maneira delicada de chamar a atenção do consumidor da Folha de SP ;)

A simpatia em pessoa. Foto: arquivo pessoal

Marcos escreveu para diversas publicações e foi editor de um caderno policial e de entretenimento em um jornal. Ele escreveu sobre diversos temas na revista Superinteressante, mas parece que é na gastronomia que se encontrou. Cozinheiro amador, sommelier de cerveja e júri em campeonatos de coquetelaria, uma pessoa de diversas facetas e humores.

Autor do livro Puxa Conversa Comida e da Sociedade Secreta do sexo.

+ AQUI

Twitter

Instagram

  1. Mariana Weber – Jornalista

Organizada, plural, mãe, escritora, produtora, coração de vó. Mariana é uma jornalista que poderia ser um prato de panquecas fofinhas com calda escorrendo em uma manhã de domingo em uma bela fotografia.

Com textos em diversos jornais e revistas do país, como a revista Crescer, ela ainda tem o site O Caderno de receitas onde compartilha receitas, dizeres e histórias lindas com memórias afetivas saborosas.

Mariana Weber. Foto: Divulgação (facebook)

Escreveu o livro Cozinha de Vó, onde faz uma jornada por cadernos de receitas e lembranças saborosas.

+ AQUI

+ AQUI

Instagram

  1. Marisa Tiemi Ono – Professora

Com uma língua super afiada, Marisa escreve o que pensa e passa por cima de conceitos foodies da moda que não fazem sentido para quem conhece da gastronomia em sua raiz. Professora, está sempre compartilhando conhecimentos riquíssimos sobre a culinária oriental. Sua definição no Twitter é: “Cientista,cozinheira e blogueira, nem sempre nessa ordem”

Marisa por Luiz Paulo Portugal (via Facebook)

Twitter

Site 

Instagram

  1. Nina Horta – Escritora

Quem dera ter deixado pronta a parte que escreveria sobre a Nina. É difícil falar de quem já foi. Mas a garantia é que mesmo com uma lista tão completa, todos aqui devem concordar que ela foi uma grande escritora. Difícil não pensar nela nesta época tão corrida da culinária. Uma pena que muitos dos profissionais que chegam para trabalhar com alimentos e bebidas não sejam encorajados a ler Nina Horta. Igual se você vai estudar psicologia e tem que ler Sigmund Freud, tem que ler, tem que saber.

Nina Horta. Foto: Raquel Cunha (FolhaPress)

De personalidade única, a escritora foi também grande empresária, cozinheira de mão cheia, generosa em compartilhar sua visão e causos sobre o tema do comer. Tantas pessoas foram influenciadas por ela e na roda da vida vamos nos apegando aos trejeitos do escrever.

Seu livro O frango ensopado da minha mãe, é vencedor do prêmio Jabuti de literatura. Uma leitura divertida sobre coisas e assuntos mais soltos que frango de granja.

Escrevemos aqui na Farofa sobre a perda dela =( 

  1. Raphael Despirite – Chef

Groselha para alguns é apenas uma bebida extremamente doce e artificial para crianças e adolescentes (cof cof e adultos), diluírem em água como “suco” e fazer picolé OU as bobagens divertidas que o cozinheiro Raphael fala nas suas mídias sociais.

O chef nasceu praticamente dentro da cozinha e é com sua visão de quem cresceu com uma frigideira em mãos, que ele solta pérolas enquanto organiza eventos, viaja dando consultorias, cozinha para figuras importantes e tenta não queimar o souflé no restaurante da família, o Marcel.

Raphael Despirite. Imagem: Divulgação

Como astrólogo ou o personagem do menino foodie Robertinho, Raphael tece críticas a maneira como hoje lidamos com o empreendedorismo e conceitos gastronômicos superficiais.

+ AQUI

Twitter

+ AQUI

Instagram

  1. Rafael Tonon – Jornalista

Tonon está no meu topo da lista de preferidos porque é uma das pessoas que por conta da sua maneira de ver e sentir a gastronomia, consegue em palavras dar entendimento as minhas procuras e dúvidas.

Como jornalista já escreveu para diversas publicações, jornais e revistas importantes e mais atualmente para sites estrangeiros, reconhecidos e de renome no meio gastronômico. Muito conectado as tendências mundiais, está sempre palestrando ou dando consultorias ou conhecendo os melhores restaurantes do mundo.

Tonon, foto por Nanci Rodrigues

Seus textos ou os textos que compartilha são uma rede de fatos que mudam o mundo no cotidiano perdido na correria do dia. Com a carga de trabalho Rafa fechou o What the Fork, que era um site de textos diversos que escrevia.

Rafa está em todas as edições da Farofa com artigos e matérias, AQUI AQUI AQUI

Twitter

Instagram

Sugestões da casa:

 

Editorial
Ribeirão Preto e cerveja: Em um relacionamento sério há 130 anos

Ribeirão Preto e cerveja: Em um relacionamento sério há 130 anos

Ao todo, faz 130 anos que a economia da cidade é transformada por um mercado de altos e baixos, com histórias intrigantes que envolvem política, rivalidade e disputa pelas águas cristalinas do maior aquífero do mundo.
09/11/2016
Editorial
Restaurante americano dispensa chefs e contrata apenas nonas imigrantes

Restaurante americano dispensa chefs e contrata apenas nonas imigrantes

Enoteca Maria, em Nova Iorque, apostou nas receitas tradicionais de família e no talento das vovós, em sua maioria vindas de outros países. Uma brasileira, de Minas Gerais, está entre o time.
11/04/2019
Editorial
Conheça o L’Imperial, o coquetel que custa 5 mil dólares

Conheça o L’Imperial, o coquetel que custa 5 mil dólares

Drink é servido do luxuoso Baccarat Hotel em Nova Iorque. Preço inclui taça de cristal Baccarat.
22/11/2019
Comente aqui:
Voltar para a página anterior
download edição atual
FAROFA #3

saiba antes, saiba mais: