Para o topo
Farofa Magazine
Farofa Magazine
página inicial » Editorial »

A jornalista que ensina a escrever sobre comida com o coração

05/04/2019

por: Fran Micheli
A jornalista que ensina a escrever sobre comida com o coração
Ana Holanda | Foto: divulgação

Imagine uma sala de aula onde a principal ferramenta de aprendizado são suas mais felizes lembranças que envolvem comida. Imagina desenvolver suas habilidades com a escrita revivendo o cheiro do bolo que sua mãe tirava do forno todo sábado ou o pernil dos natais da sua infância. Para a jornalista Ana Holanda, editora da revista Vida Simples há mais de cinco anos, comida e escrita são irmãs inseparáveis. 


Essa visão poética sobre o ato de comer foi o motor inicial que originou o curso Cozinha de Memórias. “Os livros que temos hoje têm um acabamento muito bonito, mas trazem na maioria das vezes apenas o modo de fazer as receitas, assim como as reportagens e programas de comida. Temos que dar um passo mais profundo nisso porque a comida conserva histórias por trás dela”. 


Para Ana, o ato de escolher os ingredientes, de como preparamos a comida, de onde viemos e tudo o que ocorre em volta do ato de comer diz muito sobre a nossa relação com aquele determinado prato. Cada um percebe sua comida de um jeito muito particular e “é sobre isso que a gente deveria escrever”. No curso, os alunos aprender a contar suas histórias mais íntimas a partir de um utensílio de cozinha, de um cheiro, do plantar e colher ou de um simples ingrediente. “Gosto de jogar uma luz nessa questão e de fazer as pessoas pensarem sobre isso”, conta Ana.

Última turma do curso Cozinha de Memórias, na The School of Life | Foto: acervo pessoal


Afeto ou nutrição?


Já faz tempo que a jornalista se debruça sobre a história dos cadernos de receita, estudando minuciosamente a evolução deles e como eles vieram se transformando ao longo das décadas. Segundo ela, estes cadernos – que muitas vezes passam de geração para geração – são um retrato da nossa cultura e sociedade, mostrando como as medidas vão se modificando conforme as famílias vão encolhendo, como os industrializados foram tomando o lugar do colhido em casa, como o papel da mulher vem se transformando. 


Hoje, é visível também uma percepção mais consciente sobre o que se põe no prato, sendo que as pessoas passaram a valorizar novamente a origem do seu alimento, seu processo de produção, os ingredientes. Porém, segundo Ana, não dá pra viver apenas pelos nutrientes. “É horrível quando você vai ao supermercado e vê no alimento uma calculadora nutricional”. 


“Quando você come um brigadeiro ele está te conectando a coisas mais profundas como suas festas de aniversário, suas conexões, a sensação de acolhimento da sua família. Aí hoje vem alguém e diz que brigadeiro é muito calórico e que não devemos comer. Deixar de comer um brigadeiro é negar a minha própria história! Mas isso não significa também que eu possa comer sempre”.


Mais sobre Ana


Além do curso Cozinha de Memórias na The School of Life, Ana Holanda também ministra os cursos itinerantes Escrita Afetuosa e Como se Encontrar na Escrita. É autora do livro Minha Mãe Fazia, originado da página no Facebook de mesmo nome onde conta suas experiências com a culinária de forma literária. Compre o livro AQUI. Trabalha há mais de 20 anos no mercado editorial e já contou sobre sua trajetória na escrita no TEDx São Paulo e no Festival Path.

SERVIÇO


OFICINA COZINHA DE MEMÓRIAS – com Ana Holanda
Quando: 10/04/2019, das 19h30 às 22h30
Onde: The School of Life (Rua Medeiros de Albuquerque 60 – Vila Madalena – SP)
Quanto: R$220
Inscrições: CLIQUE AQUI
Informações: brasil@theschooloflife.com | (11) 2638.7130

Sugestões da casa:

 

Editorial
Mas, por que café especial é tão caro?

Mas, por que café especial é tão caro?

Mergulhamos no universo cafeeiro e explicamos as principais diferenças entre o café especial e o tradicional que encontramos nos supermercados.
17/08/2018
Editorial
Conexão com o café

Conexão com o café

Ribeirão Preto já foi uma das mais importantes regiões de produção cafeeira do país; hoje, com o predomínio de outras culturas agrícolas, a região tenta resgatar sua tradição e melhorar o café que produz e que serve.
04/12/2018
Editorial
“Eu não sou emagrecedora de pessoas”

“Eu não sou emagrecedora de pessoas”

Conheça a filosofia da nutrição amorosa, desenvolvida por Marcia Daskal
25/04/2018
Comente aqui:
Voltar para a página anterior
download edição atual
FAROFA #3

saiba antes, saiba mais:

artigos

Bia Amorim

Bia Amorim

A história da capa

Sabrina Cyrillo Medella

Sabrina Cyrillo Medella

Indústria de alimentos, uma eterna incompreendida

Carlos Alberto Dória

Carlos Alberto Dória

Caipira enjoado

Fran Micheli

Fran Micheli

Visita de self-service

Gabriel Castaldini

Gabriel Castaldini

Grumixama, Gravatá, Curriola ou salada mista?

Fran Micheli

Fran Micheli

Filosofia de rodízio