Para o topo
Farofa Magazine
Farofa Magazine
página inicial » Editorial »

Mercado de cafés especiais dispara e Curitiba se transforma na capital nacional dos grãos especiais

22/05/2019

por: Farofa Magazine
Mercado de cafés especiais dispara e Curitiba se transforma na capital nacional dos grãos especiais
foto: Priscilla Fiedler

De acordo com a Associação Brasileira da Indústria de Café (Abic), mais de 800 xícaras de café foram consumidas por pessoa no Brasil em 2018. Esse número, que posiciona o país como segundo maior consumidor do mundo, atrás apenas dos Estados Unidos, tem projeções ainda mais otimistas: até 2021 o país deve estar no topo dos maiores consumidores de café, posição que já ocupa quando o assunto é produção e exportação.

A crescente do país tem sido acompanhada de perto pelos apreciadores. Segundo a Abic, no ano passado o consumo chegou a 21 milhões de sacas, um crescimento de 4,80% se comparado ao ano anterior, de acordo com o novo formato de medição da Associação. “O consumidor brasileiro é muito exigente. E ele está cada vez mais antenado quanto ao tipo de café, a região proveniente dos grãos e as formas de preparo”, comenta o barista carioca radicado em Curitiba barista Leo Moço, tetracampeão brasileiro de Barismo, que comanda a microtorrefação Café do Moço e a cafeteria conceito Barista Coffee Bar, em Curitiba.

Referência em cafés especiais

Se o Brasil desponta como referência no consumo de cafés, os curitibanos têm grande participação nisso. Não à toa, a capital paranaense é considerada a capital nacional dos cafés especiais, abrindo espaço para tipos diferenciados de maturação, preparo e expansão de novas casas, conquistando ainda mais consumidores e apreciadores da bebida.  “O aumento do consumo também se justifica devido à excelência no preparo da bebida, que começa lá com o aperfeiçoamento do plantio e da colheita, passando pela qualificação dos profissionais e de grande variedade de métodos e técnicas de preparo”, explica Leo Moço.

É lógico que o processo foi gradual. O primeiro endereço curitibano a trabalhar com cafés especiais foi o tradicional Café Zurich, presente no mercado há mais de 40 anos. Hoje, a cidade de Curitiba conta com dezenas de profissionais que despontaram como os melhores do país. E é lógico que a capacitação resultou em empreendimentos marcados pela inovação e pela excelência, investindo em cafés especiais como grande diferencial, entre eles a inovadora Cookie Stories, que serve café espresso até em copinhos de cookie, que ganhou ainda um revestimento de chocolate. 

O uso de outros elementos na elaboração do café também é um dos atrativos que caiu no gosto do curitibano. Produção de cafés maturados em barris de whiskey, tequila, cachaça e rum, ou cafés com lúpulo, são os destaques da marca Franck’s Ultra Coffee. Os preparos podem ser encontrados em sua loja própria, a Espresso Station, em Curitiba, ou em outras três lojas na capital, além de cafeterias em São Paulo, Santos, São José dos Campos, Rio de Janeiro e Pelotas. Com grãos exclusivos de diversas partes do país, o processo é todo realizado antes da torra. A maturação nos barris dos destilados acontece por seis semanas, em um processo que preza pela excelência e oferece uma experiência marcante para quem consome.

“O nosso grande diferencial são os cafés maturados ainda verdes em barris dos mais variados destilados durante seis semanas, tudo em um processo minucioso que visa, antes de tudo, a excelência da produção de cafés especiais. Na Espresso Station, o público é surpreendido com bebidas exclusivas e sabores bem peculiares. Uma experiência única para quem ama café e busca preparos marcantes”, comenta o barista Marcelo Franck, fundador da marca.

Formas de consumo

Além da escolha do grão, que abrange uma variedade entre nacionais e importados, uma outra parte essencial do processo é a extração. Para quem só conhece o tradicional espresso ou o famoso capuccino, existem também as extrações manuais. Métodos como a Hario V60, French Press, Clever, Aeropress, entre outras, ou preparos ainda mais elaborados, como o Cold Brew, bebida extraída a frio após longo período em repouso, aumentam ainda mais a experiência do consumidor.

O conceito To Go, muito aplicado no exterior, também contribuiu para o crescimento do consumo de cafés. Nele, o cliente pode comprar e sair consumindo, tendência que mescla agilidade e praticidade. É o caso do New York Cafe, que abriu uma unidade no bairro Água Verde, um dos mais tradicionais de Curitiba, pensando justamente neste modo de consumo e com planos de abertura de franquias com processos semelhantes. Outro case de sucesso na capital paranaense é o premiado The Coffee, que ganhou destaque na cidade por oferecer seus preparos em uma loja de apenas 3m².

Leo Moço foto PriscillaFiedler

“Essa dinâmica do mercado de cafés especiais é muito interessante. Ele se renova diariamente e permite que o trabalho de excelência seja reconhecido e recompensado. Foi assim que Curitiba ganhou tanto destaque. Ótimos profissionais e ideias formaram um público consumidor diferenciado, que exige muita qualidade. Isso potencializou o segmento na cidade, que hoje é uma referência nacional”, completa Leo Moço.

Sugestões da casa:

 

Editorial
Ribeirão Preto e cerveja: Em um relacionamento sério há 130 anos

Ribeirão Preto e cerveja: Em um relacionamento sério há 130 anos

Ao todo, faz 130 anos que a economia da cidade é transformada por um mercado de altos e baixos, com histórias intrigantes que envolvem política, rivalidade e disputa pelas águas cristalinas do maior aquífero do mundo.
09/11/2016
Editorial
Quanto custa o cafezinho em Ribeirão Preto

Quanto custa o cafezinho em Ribeirão Preto

O café é uma locomotiva. Logo cedo, apita a vontade de nos encher de energia. Depois que ganhou o mundo, a bebida de origem árabe está por todas as mesas e balcões, de cafeterias requintadas ao boteco no bairro simples.
11/08/2017
Editorial
Polo Fest em Ribeirão Preto, edição março

Polo Fest em Ribeirão Preto, edição março

Festa do Polo Cervejeiro de Ribeirão Preto, edição de março.
26/03/2018
Comente aqui:
Voltar para a página anterior
download edição atual
FAROFA #02
artigos

Bia Amorim

Bia Amorim

Meu copo sujo

Bia Amorim

Bia Amorim

Eu e a cerveja, dia dos namorados

Bia Amorim

Bia Amorim

O que E.L.A. mudou no mercado cervejeiro?

Rafael Tonon

Rafael Tonon

Como seu fígado

saiba antes, saiba mais: