Para o topo
Farofa Magazine
Farofa Magazine
página inicial » Editorial »

Premiação do concurso de melhor cerveja do Brasil acontece na terça-feira dia 12 de março em Blumenau - Farofa Magazine

10/03/2019

por: Bia Amorim
Premiação do concurso de melhor cerveja do Brasil acontece na terça-feira dia 12 de março em Blumenau - Farofa Magazine
Julgamento de cervejas. Festival Brasileiro de Cerveja em Blumenau. Foto: Divulgação

Este ano o evento teve 3.115 cervejas inscritas. Cresceu 9% em relação ao ano passado. O mercado artesanal ainda tem fé. Olhamos também os números. Veja só.

Todo começo de ano, bem próximo a ressaca de carnaval, acontece em Blumenau, o Festival Brasileiro de Cerveja, o maior da América Latina. O concurso que premia as melhores nacionais em diferentes estilos já é o terceiro maior do mundo e está em sua oitava edição. 

Paraíba, Sergipe e Tocantins estão debutando no evento. Por diversos fatores (regionais, financeiros, de tradição, público-alvo, etc) Santa Catarina ostenta o maior número de cervejas (são 672 inscrições; mas Rio Grande do Sul está no vácuo com 647) e São Paulo tem 101 cervejarias inscritas, sendo o primeiro neste quesito. É preciso lembrar que as cervejarias ciganas são contabilizadas como análogas no meio da multidão, mas não sei dizer ao certo qual é a proporção. Amazonas é longe, mas ainda sim tem duas representantes.

Teto do galpão Eisenbahn, onde ocorre o julgamento durante três dias, em Blumenau/SC. Foto depois de uma dezena de amostras.

Das novidades possíveis, ou seja, cervejas que ainda não estão no mercado, 317 rótulos estão concorrendo na categoria experimental. É um vale tudo em busca do equilíbrio, seja ele com qual escolha de receita for. Além do mais é aquele destaque que deve vender o ano inteiro até chegar em todos os curiosos de plantão.

Ainda não saímos das globais IPA´s e suas variações em números. É a primeira em maior número de inscrições. O sucesso vende na prateleira com a fama do famoso “fulano me disse!”. Na batalha, a Pale Ale, sua prima próxima, está em segundo lugar, ambas carregado o primeiro nome American. O trigo (South German - Style Hefeweizen) não perde o pódio e mantém um bom lugar ao sol com o terceiro lugar.

Não é difícil acreditar que o Brasil está mesmo empolgado com as cervejas Sours. Muitos dos dinossauros profissionais que trabalham no mercado cervejeiro já tinham profetizado anos atrás que o azedo poderia reinar, a prova disso está nas mãos do jornalista Bob Fonseca que mantém uma pesquisa anual muito interessante (LINK AQUI).

A Catharina (delicinha, refrescante e com acidez na medida) Sour está com 105 rótulos concorrendo, é a Brazilian Beer – Catharina Sour. Imagina a quantidade de fruta brasileira, lactobacilos, leveduras, azedume do bem e sabores complexos e animados estamos colocando no mundo. Salivo só de pensar. Este é apenas o segundo ano que o estilo está sendo julgado, o que mostra que unidos venceremos ;)

Para completar essa montanha de números cervejeiros, somos (sou uma das juradas <3 ) em 121 jurados, profissionais de todas as áreas do mercado cervejeiro. São 25 países do planeta. Total de 62 brasileiros (11 estados), com a mente aberta aos sabores daqui e experiência de carreira e mais 59 pessoas com sensorial totalmente diferente, treinados em outras circunstâncias e com a mente focada em buscar com técnicas distintas das nossas. Deste número, somos em 33% mulheres e 67% homens. Em 2016 apenas 18% era a participação feminina.

Mas ninguém toma cerveja e julga se não tiver um staff enorme. Aqui são pessoas do mercado, jovens, mais velhos, novatos e experientes profissionais que são voluntários e ajudam em todo o complexo movimento de carregar e trazer e tirar e servir e fazer toda a logística tecnológica dos tablets e sistema de julgamento. Ao vivo, as informações vão para um software que ajuda no processo de qualificação das amostras, todas numeradas e organizadas.

Na terça-feira dia 12/03/2019 o "gran finale" acontece. Em um evento fechado, as vencedoras sobem ao palco para receber as palmas e brindes junto com os certificados e medalhas. Um evento importante para o mercado cervejeiro brasileiro e uma forma de ver o quanto ainda precisamos crescer, ao mesmo tempo que já podemos beber com orgulho.

Sugestões da casa:

 

Editorial
Mercado de bebidas ilegais tira R$10 bilhões dos cofres públicos

Mercado de bebidas ilegais tira R$10 bilhões dos cofres públicos

Estudo apresentado pelo Instituto Brasileiro da Cachaça mostra impacto de contrabando, falsificação e produção ilegal de bebidas alcoólicas. Impostos não recolhidos seriam suficientes para construir mais de 5 mil escolas.
18/12/2019
Editorial
Folclore e inovação: visitamos a fazenda do Café Seis de Janeiro

Folclore e inovação: visitamos a fazenda do Café Seis de Janeiro

Estávamos curiosas para descobrir a história por trás da marca de cafés especiais. Em uma manhã, aprendemos sobre a bebida e tivemos uma aula de folclore regional!
18/08/2018
Editorial
Por que cervejas artesanais custam tão caro?

Por que cervejas artesanais custam tão caro?

Todo cidadão possui um sócio oculto. Ele se chama Estado. Até no bar (ou principalmente nele) este sócio marca presença, pronto pra filar uns goles da nossa cerveja.
23/08/2017
Comente aqui:
Voltar para a página anterior
download edição atual
FAROFA #3

saiba antes, saiba mais: