Para o topo
Farofa Magazine
Farofa Magazine
página inicial » Entrevistas »

Dá pra emagrecer quando seu trabalho é comer e beber?

21/04/2019

por: Fran Micheli
Dá pra emagrecer quando seu trabalho é comer e beber?
Ronaldo Rossi no Sem Fronteiras Bar, em Ribeirão | Foto: Fran Micheli

Depois de um piripaque em 2017 em que “o ar do mundo acabou”, o chef e sommelier Ronaldo Rossi chegou ao limite. A falta de ar, a sensação de morte e os 232 kg sufocaram o estilo de vida desenfreado e regado aos prazeres do paladar de um dos profissionais mais respeitados e queridos da gastronomia brasileira.

Há 24 anos no mercado, o chef acumula na bagagem dezenas de restaurantes sob sua tutela, workshops e cursos pelo Brasil, produção de cerveja, julgamentos e outro tanto de atividades que o fazem estar comendo e bebendo o tempo todo. “Em todo lugar que eu vou pra trabalhar sempre tem alguém me recebendo com um bacon, uma cerveja, um churrasco, algo que eu tenha que provar”.

O resultado foram obesidade mórbida, problemas nas articulações, insulina alta, pressão nas altursa e uma qualidade de vida que deixaria qualquer médico ou nutricionista de cabelo em pé. E a ironia da vez: Ronaldo também tem formação em nutrição.

No entanto, foi o fato de ser nutricionista que o ajudou em uma batalha que foi além da perda de peso. Durante o ano de 2018, Ronaldo criou estratégias para sobreviver. “Comecei a colocar cotas no que eu podia comer e beber, diminuí as quantidades, escolhi melhor o que eu estava comendo. Minha meta era me manter vivo por mais um mês, depois mais outro mês e assim sigo até hoje. Planos a curto prazo”.

Sem parar de comer e beber a trabalho, 58 quilos a menos. Foto: reprodução Instagram

Cotas, low carb e renúncias

Foram 67 quilos a menos, com algumas escorregadas no caminho. Ganhou 22 de volta e hoje se coloca nos trilhos para “pagar o que está devendo e recomeçar”, diz. Começou retirando da sua rotina todo tipo de alimento industrializado. Depois partiu para o estilo low carb de alimentação e, por fim, apostou no jejum intermitente.

Para Ronaldo, o problema maior é o descontrole. No início, tonturas, dores de cabeça e mau humor – sintomas comuns de quem passa por uma reeducação alimentar – não o fizeram desistir. Era como tirar a droga de um viciado.

Há algumas semanas, foi preciso provar e avaliar 14 cervejas. Provou o que foi necessário e chamou alguns amigos para irem lá beber com ele e não desperdiçar cerveja. “Dieta pra mim não deve ser algo a ser visto como punição, tem que ser visto como algo que te trará um benefício, uma qualidade de vida. Cada escolha é uma privação e eu fiz a minha escolha. É impressionante o ganho que tive com quase 70kg a menos”.

Atualmente, a meta é chegar aos 115 quilos, o que significa a perda de 51% do peso original. “Estar gordo é uma doença, é como um dependente químico. Mas, se o dependente químico fica livre do seu vício ele não vai ter contato com a droga se não quiser. Nós precisamos comer e beber pra viver e eu ainda dependo disso no meu trabalho. É difícil, complexa a relação”.

Para eixar a trajetória menos pesada, Ronaldo divide suas vitórias e frustrações no seu Instagram, onde criou a hashtag #RRMAGRÃO para quem quiser acompanhar o conteúdo da saga de emagrecimento. E tem também o canal do YouTube Confraria do RR, onde ele fala em vídeos mais longos sobre motivação, dietas e alimentação consciente.

Sugestões do RR para quem trabalha com comida e bebida e precisa cuidar do peso:

- Compreender e respeitar as cotas: o que pode comer na semana e qual o seu limite. Trabalhando com cerveja e comida não tem como não beber, não comer. Se você trabalha comendo e bebendo e grande parte das suas calorias ingeridas vem do seu trabalho, é preciso compensar no resto.

- Procure ou crie um grupo de apoio, converse com quem passa pelo menos problema e que tenha o mesmo perfil que o seu.

- A regra deve ser o comer bem. Se quiser exagerar, fazer alguma extravagância, entenda que essa é a exceção. Cometeu um deslize, tudo bem, volte de onde parou.

- Não coloque metas longas. Pense em metas palpáveis: quantos quilos o seu estado te permite perder em um mês, em duas semanas?

- Considere a questão da massa magra e da massa gorda na composição corporal. Não é só a balança que determina o quão você está indo bem. Às vezes o ponteiro da balança não mexe, mas a gordura pode estar dando lugar a músculos, o que é algo extremamente positivo.

Agradecimentos: Sem Fronteiras Bar

Sugestões da casa:

 

Entrevistas
Entrevista: Bia Macedo

Entrevista: Bia Macedo

Para ela, a maioridade chegou praticamente junto com uma oportunidade no mercado cervejeiro.
09/11/2016
Entrevistas
Diversificação de categorias no mercado de bebidas evolui no 2º BCB São Paulo

Diversificação de categorias no mercado de bebidas evolui no 2º BCB São Paulo

Entrevistamos Carol Oda, embaixadora do maior evento de coquetelaria e bebidas do Brasil. Ela comenta sobre evolução do mercado e as principais mudanças, bom gosto e hospitalidade.
11/02/2020
Entrevistas
Entrevista: João Dárcio

Entrevista: João Dárcio

Mâitre no restaurante Amici, João fez um bate bola com a Farofa.
09/11/2016
Comente aqui:
Voltar para a página anterior
download edição atual
FAROFA #3

saiba antes, saiba mais: