Para o topo
Farofa Magazine
Farofa Magazine
página inicial » Quentinhas »

Kurâ tem cozinha afetiva inspirada no Japão ancestral, novo izakaya em São Paulo apresenta conceito contemporâneo na Era Reiwa

09/05/2019

por: Bia Amorim
Kurâ tem cozinha afetiva inspirada no Japão ancestral, novo izakaya em São Paulo apresenta conceito contemporâneo na Era Reiwa
Ten don. Prato do cardápio. Foto: Divulgação.

Arte, cultura e gastronomia japonesa estão cada vez mais perto de nós. São Paulo está sempre trazendo novidades gastronômicas de todos os lugares do mundo, como uma capital tão cheia de diferentes personagens faz. Desta vez, abriu mais um izakaya, típico e despojado local para aprender muito sobre os três itens que eu comecei no parágrafo. Que maneira deliciosa de se ter uma aula.

“A casa vai apresentar receitas tradicionais dos botecos japoneses com toques contemporâneos, para atender a demanda de um público jovem e informal”, explica Marcelo Fernandes, que neste ano completa 20 anos de empreendimentos no segmento gastronômico, desde a criação do icônico D.O.M.

O empresário Marcelo Fernandes, criador de referências de sucesso como os restaurantes Kinoshita, Attimo Per Quatro, Tradi Hamburgueria e Mercearia do Francês, agora se aventura em mais uma casa, que promete agitar a cena gastronômica em São Paulo.

Chef Ken Tanaka e empresário Marcelo Fernandes Foto: Jo Takahashi

Onde começou?

 Tudo começou com conversas há dois anos, o produtor cultural Jo Takahashi, (autor do livro “Izakaya: Por Dentro dos Botecos Japoneses” editora Melhoramentos) e Marcelo, em papos informais entre os dois passaram a adquirir um comprometimento dedicado e geraram um pacto criativo. Jo Takahashi investiu sua experiência em projetos de arte e cultura japonesa para este novo espaço e assumiu a curadoria de conteúdo da casa.

“Propusemos um espaço onde as pessoas poderão desfrutar de momentos descontraídos, envolvidos por um espaço cheio de arte”, explica Jo.

Com quantas mãos se conceitua um local?

O projeto foi desenvolvido com tanto cuidado que mais profissionais conceituados foram chamados para contribuir. Decisivamente a arquitetura original foi projetada por Naoki Otake, convidado para readequar o projeto original para a nova proposta.

Fachada Kura. Foto: Divulgação.

Com a curadoria de Jo Takahashi entraram novas cores, como o cinza-chumbo, que serviu de suporte para intervenções de pintura mural de Catarina Gushiken, com suas caligrafias imaginárias. A artista têxtil Tati Polo comparece com suas criações em tecido, com técnica shibori. Gabriel Ribeiro fez a intervenção na entrada, incorporado técnicas de colagem e grafite. A ceramista Hideko Honma criou as peças cerâmicas onde serão servidas as iguarias de izakaya e ainda se prepara para uma grande instalação com peças cerâmicas, que irá introduzir novo charme no salão, no segundo semestre. O pé direito alto do salão convida para um olhar para cima. É lá que encontraremos as delicadas luminárias com estrutura de bambu refilado e papel japonês, obras do artesão Lucas Isawa.

Salão Kura. Foto: Divulgação.

Começando pelo nome, o que é um Kurâ?

Kurâ eram os antigos entrepostos de arroz, missô e saquê no Japão feudal e correspondem ao que conhecemos por adegas. As kurâ começaram a ser construídas em meados da Era Edo (século 18), com a ascensão social dos comerciantes. Com a dinamização do fluxo de comida e bebida, tornou-se necessário armazená-las em depósitos, de construção robusta, que permitisse a conexão entre os produtores e os comerciantes. Logo a kura se tranformou em um ponto de encontro, onde as pessoas se reuniam para trocar notícias, regado a tragos de saquê. Não levou muito tempo para que os donos dos kura começassem a servir também petiscos, para acompanhar as doses de saquê. Estava instaurada a origem dos izakaya.

O que serve?

O cardápio do Kurâ será constituído pelo trinômio “petiscos de izakaya”, “noodles” e “bowls”.

Inspiradas em comidas afetivas do Japão, os petiscos e bowls, chamados domburi, serão servidos em porções pequenas, para que o cliente possa experimentar diversos sabores e receitas. Dentre os petiscos, destaque para o kushiaguê, uma novidade em São Paulo. São espetinhos à milanesa, fritos, que fazem muito sucesso nas noites japonesas. Clássicos dos domburi, como o “katsudon” (tigela de arroz com milanesa de copa lombo) e algumas versões de poke estarão presentes. E no segmento dos noodles, a aposta é o udon, o autêntico macarrão japonês, mais grosso, preparado artesanalmente no próprio local e servido al dente.

Uma das especialidade da casa, o macarrão. Foto: Divulgação.

Sintonizado com a proposta de informalidade e descontração da casa, o cardápio terá preços atraentes, como os espetinhos de abobrinha ao molho de maçã por R$ 3,81, ou o delicioso neguimá, de sobrecoxa de frango com cebolinha, um clássico dos izakaya, a R$ 4,81. Os mini domburis serão oferecidos na média de R$ 30,00, como é o caso do Katsu don (milanesa de porco com molho) a R$ 28,81.

81 centavos?

Uma curiosidade nos preços do Kurâ é que tudo está precificado com 81 centavos.

“É uma homenagem ao Japão. O código DDI para ligar ao Japão é 81. Estaremos assim, sempre conectados às inspirações que o Japão nos envia”, explica Marcelo Fernandes.

O tícket médio da casa gira em torno de R$ 50,00 reais.

Dois chefs

Dois experts irão comandar a cozinha do Kurâ. Nos domburi e nos petiscos, Ken Tanaka, que viveu no Japão por quase 20 anos e lá aprendeu o difícil ofício da culinária japonesa, tanto na área de sushi, onde se concentrou por 8 anos, quanto nas demais especializações, incluindo a alta gastronomia kaiseki. Mas foi no segmento de izakaya que ele mais se identificou e quando retornou ao Brasil, abriu em sociedade, o Omoide Sakaba, um boteco na Vila Mariana, muito prestigiado pelos fãs de saquê. Agora no Kurâ, Ken Tanaka tem como missão criar um cardápio que tenha identidade própria, que alie um pouco de culinária de boteco com a cozinha doméstica do dia a dia. A ideia é que o Kurâ seja um lugar acessível, que possa ser frequentado até todos os dias e que mesmo assim, surpreenda com novidades.

Chef Ken Tanaka Foto: Jo Takahashi

No segmento de udon, o único especialista no assunto no Brasil, Yoshio Mizumoto, encerra suas atividades à frente do Meu Udon, que fez sucesso no bairro da Liberdade, servindo um macarrão artesanal autêntico e se agrega ao projeto Kurâ trazendo seu conhecimento. “Udon é a nova tendência nos Estados Unidos, depois do ramen. Vamos impulsionar esta nova onda”, anima-se Mizumoto. Para um futuro não muito distante, está também a produção de soba, o macarrão de trigo sarraceno, provavelmente já no segundo semestre deste ano.

A carta de bebidas

Como é um izakaya, não podem faltar itens etílicos. A sommeliére do Kinoshita, Andrea Machado elaborou uma carta de saquês diferenciados, alguns exclusivos. A carta é dividida em quatro inspiradas categorias do fermentado de arroz:

  1. Frutados e Florais,
  2. Umami Bomb,
  3. Refrescantes,
  4. Para Beber.

Além da carta de saquê, o visitante poderá desfrutar um outro tipo de harmonização com as comidas de izakaya: os espumantes e os vinhos brancos, que combinam muito bem com os sabores mais acentuados dos petiscos, por serem adstringentes, suavizando o paladar. A carta de cervejas é bastante restrita.

O espaço despojado

Em espaço mais descontraído, o deck, os happy hours e noites regadas a boa conversa e boa bebida estão garantidas. Nova tendência também no Japão, estão nos planos um Oyster bar e um Guioza bar.

“Serão guiozas artesanais, com recheios inusitados que fogem do padrão de carne suína.  Iremos oferecer guioza de wagyu, de pato e vegetarianos”, anima-se Marcelo Fernandes.

O brunch de domingo ao ar livre também está nos planos do empresário, ele diz ser uma opção nova no bairro, que tinha uma demanda de locais mais informalidade e qualidade.

A nova era do Japão

A abertura da casa coincide também com a nova era do Japão, a era Reiwa, anunciada no dia 1 de abril, com a ascensão do novo imperador, Naruhito, começa no dia 1 de maio. Uma data auspiciosa, comemora Fernandes.

Era Reiwa. Imagem: Divulgação

Operação

Para a gerência de produção e operação, assume Eurico Carvalho, atual gerente-geral do Kinoshita, que conduzirá a administração do Kurâ como sócio-gestor. “Como as duas casas estão perto, não será difícil estar nos dois lugares ao mesmo tempo”, brinca Eurico.

KURÂ IZAKAYA CONTEMPORÂNEO

http://kuraizakaya.com.br/

* O site tem a versão em português, inglês e japonês

Rua Domingos Fernandes, 549 Vila Nova Conceição – São Paulo SP

Telefone: +55 11 3045-2154

Horário de funcionamento:

Terça, quarta e quinta: 12:00 – 15:00 | 18:00 – 23:00

Sexta e sábado: 12:00 – 00:00

Domingo: 12:00 – 17:00

Sugestões da casa:

 

Quentinhas
Lançamentos na feira APAS 2019 vão de alimentos a embaixadora famosa

Lançamentos na feira APAS 2019 vão de alimentos a embaixadora famosa

Marca de laticínios Piracanjuba tem estande de 421m² para receber clientes de todo o Brasil e apresentar as novidades, que vão desde Leite Condensado 0% gordura ao Requeijão Cremoso, sabor Cheddar Melt.
30/04/2019
Quentinhas
Em meio ao caos urbano, cervejaria convida as pessoas a relaxarem com novo bar em Pinheiros

Em meio ao caos urbano, cervejaria convida as pessoas a relaxarem com novo bar em Pinheiros

Greenhouse, da Cervejaria HOEGAARDEN, espaço único da witbier mais premiada do mundo, convida o público a experimentar estilo rústico do vilarejo belga que originou seu nome
27/03/2019
Quentinhas
Central de Cursos completa 15 anos com aulas especiais

Central de Cursos completa 15 anos com aulas especiais

Cursos são gratuitos e acontecem no Novo Shopping, em Ribeirão Preto. Em abril, aulas de culinária indiana, massas, risotos, pastel e delícias vegetarianas.
03/04/2019
Comente aqui:
Voltar para a página anterior
download edição atual
FAROFA #02
artigos

Rafael Tonon

Rafael Tonon

Como seu fígado

Vera Cristina

Vera Cristina

A Alfabetização Científica e a arte da Gastronomia, existe algum paralelo possível?

Bia Amorim

Bia Amorim

A arte de comer

Bia Amorim

Bia Amorim

No meu leite de morte

saiba antes, saiba mais: