15 mil pessoas e muitos negócios fechados; SP Coffee Festival já tem data para 2025. Foto: divulgação

O mais importante festival de café do país proporcionou diversas experiências para 15 mil pessoas, e impulsionou o mercado de cafés especiais. Veja os destaques. 

Nos dias 21, 22 e 23 de junho, aconteceu o 3º São Paulo Coffee Festival, que trouxe para o pavilhão da Bienal no Ibirapuera mais de 15 mil pessoas, um crescimento de 20% em relação aos anos anteriores.

Com o sucesso da edição, a iniciativa – nascida em Londres e realizada há mais de 10 anos em várias cidades do mundo – cumpriu seu objetivo de trabalhar como ponte entre produtores, cafeterias, baristas e consumidores finais, uma oportunidade de conhecer tendências, produtos e explorar oportunidades, na maior cidade da América Latina. Além de impulsionar o mercado de cafés especiais, que está em ascensão.

Cafés especiais crescem no Brasil

O Brasil, conhecido mundialmente como o maior produtor de café, tem visto um crescimento dos cafés especiais. De acordo com a Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA), o mercado registrou um crescimento anual médio de 15% na última década.

Globalmente, o crescimento também é expressivo. A Specialty Coffee Association (SCA) aponta que esse mercado tem projeção de crescimento anual de 7.6% até 2025, atingindo um valor estimado de US$ 83.6 bilhões. Esses números mostram um apetite crescente por qualidade superior e experiências únicas.

São Paulo Coffee Festival impulsionou negócios

Voltado principalmente para o consumidor final e coffee lovers, essa edição do São Paulo Coffee Festival abriu mais espaço para os negócios e relações B2B.

O evento é uma plataforma de ativação e experiência única para marcas de produtores, cafeterias, profissionais de hospitalidade e torrefadores não apenas apresentarem suas colheitas e produtos exclusivos, mas também se conectarem diretamente com um público engajado. Ao destacar a origem dos grãos, os processos de cultivo e os métodos inovadores de torrefação, o festival educa e cativa os visitantes, promovendo uma compreensão mais profunda e uma apreciação genuína pelo café especial.

A 3ª edição contou com experiências sensoriais cafeinadas, culturais e gastronômicas, como degustações de diversas cafeterias e microtorrefações, atividades interativas, workshops, boa comida e line-up de músicos e artistas.

Este ano, foram 130 expositores, em sua maioria de cafés e itens relacionados, como máquinas e acessórios. Além das grandes marcas do mercado cafeeiro, a edição se destacou pela maior presença de pequenos produtores, que fazem o processo completo do grão à xícara, e dos chocolates bean to bar, que atingiu o número recorde de nove expositores participantes, entre eles Mission Chocolate, Pryscilla França e Majucau. Também ganharam destaque marcas de docinhos e comidinhas, como Biscoitê, Dona do Doce, Double Cookies, Artesanal Pães e Santiago Padaria Artesanal, e bebidas, como Licor 43, Tarantino e Divina d’Minas.

O ticket médio de compra geral do evento foi de R$ 180.

Eventos paralelos aumentam interesse em chá, chocolates e leites vegetais

Matcha teve boa aceitação entre os apaixonados por café e negócios devem crescer Foto: J M Stark

O evento também apresentou a 8° edição da Copa Barista, campeonato patrocinado por Melitta e apoiado por Storm, Nude, Café Store e Bunn, que premiou os melhores competidores na preparação de espressos, cappuccinos e filtrados. Hugo Silva, da Sabino Torrefação, foi o grande campeão, ganhando além do troféu, um cheque no valor de R$ 6 mil, um cupom de R$ 500 no e-commerce da Café Store, um método Melitta Amano e brindes da Nude. Em segundo e terceiro lugar ficaram, respectivamente, Elis Bambil, da Punga Cafés Especiais, e Thiago Sabino, também da Sabino Torrefação.

Outro destaque do festival foi a área A Cozinha. Com patrocínio de 3corações e A Tal da Castanha, e apoio do Senac, foi aqui que convidados produziram conteúdos gastronômicos para destacar a riqueza cultural e comidas que orbitam o universo do café. Entre os convidados estão Pedro Frade, chef pâtissier da Confeitaria Caramelo, Wanderson Medeiros, chef do restaurante Canto do Picuí, Fernanda Valdívia, da padaria Deli Garage, e Fábio Vieira, chef executivo do Santo Grão.

O chá também ganhou espaço especial com a AbChá, que realizou o Festival Brasileiro do Chá – com diversas atividades, degustações e expositores do setor e também a presença da Namu Matcha, única marca do Brasil dedicada exclusivamente ao produto. Interesse pelo produto tem crescido entre cafeterias.

Já em O Laboratório, importantes nomes do universo do café comandaram discussões interativas. Aconteceram desde bate-papos sobre métodos de preparo e montagem de uma torrefação até palestras sobre terroirs, com a presença de produtores de café como Lucas Venturim (Fazenda Venturim, ES), empresários, como Isabela Raposeiras (Coffee Lab, SP) e Ricardo Madureira (CEO da Orfeu Cafés Especiais) e baristas campeões brasileiros, como Thiago Sabino (Sabino Torrefação, SP) e Daniel Vaz (Five Roasters, RJ).

O São Paulo Coffee Festival já tem data marcada para o próximo ano. A quarta edição será nos dias 27, 28 e 29 de junho de 2025.

 

Você também pode gostar

As outras bebidas que eu amo

Como sommelier de cerveja meu foco é quase