Jornalista já rodou 16 mil quilômetros de bicicleta para entregar “Torta do Pai”

- em Entrevistas, Matérias
311

No início da pandemia, muitas famílias se viram abaladas pelo desemprego e falta de renda. Com o jornalista Diego Salgado não foi diferente. O pai, Antônio Carvalho, se virou como podia como motorista de aplicativo, mas não era fácil a rotina de horas no sol quente, rodando a cidade e com baixos ganhos. Vendo as contas do pai se acumulando, Diego decidiu jogar os holofotes no talento do Seu Antônio para a cozinha: por que não vender as tortas já famosas na família e tentar uma nova profissão? Nascia, então, a Torta do Pai.

Antônio Carvalho e sua torta famosa | Foto: arquivo pessoal

No início, Seu Antônio achou bobagem, mas decidiu aceitar o desafio: Diego propôs que o pai produzisse 50 tortas e que as entregas fossem feitas por ele, ciclista apaixonado, de bike, pelos bairros próximos, em São Paulo. Ao anunciar em seu Twitter que a receita de família estava disponível para venda, a surpresa: 8 mil mensagens chegaram em uma única noite.

Desde maio de 2020, os números da Torta do Pai são inacreditáveis. Diego já percorreu quase 17 mil quilômetros fazendo entregas de bicicleta em 90 bairros de São Paulo e 13 cidades da região. São quase 10 mil tortas entregues que possibilitaram a abertura de uma modesta loja física em Pinheiros. Hoje, Diego divide a gestão da Torta do Pai com a edição de editoria de esportes do UOL.

Entrevistamos o Diego para entender mais sobre essa história fascinante de empreendedorismo.

FM – A Torta do Pai surgiu por necessidade, certo? Quando você deu a ideia de entregar as tortas, qual foi a primeira reação do seu pai?

DS – Exatamente. Surgiu dois meses depois do começo da pandemia, em maio de 2020. A primeira reação do meu pai foi de descartar a possibilidade, pois ele achava que não venderíamos muito. Eu tive de convencê-lo. Primeiro, falei que vender 50 tortas era garantido, pois eu ia avisar familiares e amigos. Fiz um apelo no Twitter, e a mensagem viralizou logo de cara: recebi 8000 mensagens na primeira noite.

FM – Em dois anos do projeto, quais as maiores conquistas suas e de seu pai? A relação de vocês sempre foi de parceria?

DS – A do meu pai foi de, enfim, equilibrar as contas, além, claro, de ter seu próprio negócio. A minha, de me superar a cada dia de entrega – no dia mais longo, por exemplo, pedalei 168 km em 12 horas. Sim, sempre tivemos essa relação próxima, sobretudo no trabalho, de ajuda mútua.

FM – O fato de você ser jornalista ajudou na divulgação da ideia? E como foi conciliar seu trabalho com as entregas?

DS – Com certeza. O fato de eu ter muitos seguidores no Twitter foi fundamental. Foi uma batalha diária equilibrar as duas coisas. Eu trabalho no período da tarde/noite no jornalismo. Dessa forma, reservava a manhã para fazer as entregas e a madrugada para organizar e planejar as outras coisas da Torta. São mais de 1.500 clientes cadastrados.

Diego já percorreu mais de 90 bairros na Grande São Paulo para entregar as tortas do pai | Foto: arquivo pessoal

FM – Hoje, vocês já têm loja física. Esperam dar passos maiores daqui pra frente?

DS – Eu sempre penso nos próximos passos. No fundo, quero dar continuidade a esse processo e, quem sabe, abrir mais uma loja em outro ponto da cidade. Os esforços, contudo, estão todos na primeira loja, pois os desafios são imensos.

FM – Já chegaram às 10 mil tortas? 

DS – Falta pouco, muito pouco. Acho que chegaremos à marca em meados de março. Expectativa grande!

FM – Diego, quais as principais transformações que você viu no seu Antônio nestes dois anos? Como vc avalia o papel que a torta teve na vida dele?

DS – Meu pai sempre foi um grande trabalhador, e não se mostrou diferente agora. Ele está curtindo mais, bem mais. A rotina de motorista de aplicativo não era fácil. Eu vejo meu pai mais feliz hoje, com certeza. A Torta ajudou a mostrar que ele é um grande cozinheiro, que a resiliência é uma característica marcante de sua personalidade. Sem dúvidas, mudou a vida dele.

Torta do pai pode ser comprada pronta ou congelada nos sabores: frango com requeijão, palmito e calabresa | Foto: arquivo pessoal.

A Torta do Pai fica na Rua Fradique Coutinho, 850 – Pinheiros e o delivery continua pelo WhatsApp (11) 98089-9692, com entrega em toda cidade.

EDIT: A bicicleta de Diego, companheira de entregas em mais de 16 mil quilômetros, foi roubada dia 26/02, na frente da loja. Quem puder, compartilhe o tweet:

Você também pode gostar

Kitsune, em Curitiba, promove o 1º festival de baos

Entre os dias 18 e 29 de maio,