Pinguim, choperia tradicional em Ribeirão Preto | Foto: Rafael Almeida

Recentemente, um episódio chamou atenção nas redes sociais, principalmente na região de Ribeirão Preto. Uma tradicional choperia da cidade foi flagrada ao receber uma entrega de chope proveniente de uma marca diferente daquela que supostamente vende.

Este fato culminou, inclusive, em uma fiscalização do Procon, que notificou a choperia sobre tal divergência. Esta casa, muito tradicional da cidade, inclusive já apareceu em novelas e sempre é lembrada como parada obrigatória por pessoas de fora.

Resido em Ribeirão há quase 13 anos e os parentes e amigos de minha terra natal, logo que me mudei, sempre me perguntavam se eu já tinha ido a esta famosa choperia. Demorei uns anos após minha chegada para visitá-la. Quando fui, confesso que não gostei muito. Vi que ela tinha mais fama do que qualidade nos produtos. O chope servido possuía mais espuma do que estou habituado em outras choperias (talvez seja algo diferente e característico do local, mas não me agradou) e a porção que pedi veio fria ao ponto de nem o queijo que estava sobre ela estar derretido. Foi minha primeira e última visita a este local.

Em Buenos Aires, a mesma decepção

Ocorre que já passei por situações em outros restaurantes famosos em outras cidades. O Café Tortoni, em Buenos Aires, por exemplo, tinha uma enorme fila para entrar. Aguardei por 40 minutos e, quando entrei, percebi que havia muitas mesas vazias; fiquei com a impressão de que fazer os clientes esperarem do lado de fora é uma estratégia de marketing para deixar os clientes mais ansiosos por um lugar tão ‘disputado’.

Mais uma vez, não fiquei encantado com a qualidade da comida oferecida. Diga-se de passagem, um restaurante pequeninho que encontrei por acaso, durante minha estadia em terras argentinas ofereceu-me uma refeição muito mais saborosa.

O mesmo ocorre aqui em Ribeirão Preto: há vários restaurantes, barzinhos e choperias menores, talvez menos famosas, mas com qualidade muito superior e que não enganam os clientes com a marca do chope servido: inclusive algumas choperias daqui são anexas à fábrica de cerveja da própria marca do estabelecimento.

O episódio relatado no primeiro parágrafo e famoso nas redes sociais serviu para reforçar, ao menos para mim, que há mais ‘pega turistas’ do que comida e bebida de qualidade nos lugares famosos.

Por isso, sempre que estou em outra cidade e/ou local, gosto de explorar e procurar estes restaurantes menores – muitas vezes gerido por uma família – , pois estes sim, na maioria das vezes, oferecem uma boa refeição e com um preço muito mais justo do que os mais ‘tradicionais’.

Você também pode gostar

abChá realiza o 2º Festival Brasileiro do Chá durante a Naturaltech

A Associação Brasileira do Chá, abChá, que tem