Chope, auto serviço e sommelieria com myTapp

Chope, auto serviço e sommelieria com myTapp

- em Beber, Content Lab, Empreender, Matérias
três fotos de uma mulher sorrindo de servindo um chopeBia na Toca do Urso. Foto: Lukas Barretos

Nos últimos anos o mercado cervejeiro no Brasil viu decolar o consumo de cervejas artesanais. E com a demanda crescente, não apenas o número de cervejarias aumentaram, mas também os bares especializados, além de locais onde a própria cervejaria serve seus produtos, chamados de Tap Room ou Brewpubs. Assim como o número de profissionais que trabalham na cadeia cervejeira também aumentou a necessidade de inovar. Claro que ainda há muito a ser feito.

Este é um mercado apaixonante, e muita gente sonha em trabalhar no setor. E foi de um desses sonhos, de trabalhar com cerveja e abrir um bar, que nasceu a myTapp em 2015. A empresa é um sistema para auto serviço de chope (entre outros serviços adicionais). Os sócios decidiram por não abrir um bar e o trabalho com cerveja mudou de perfil.

Fui convidada pela marca para escrever sobre o assunto e como eu vejo essa nova cultura de serviço. Estamos em época de falar sobre sommelieria pois no dia 29 de agosto é a data comemorativa da profissão. E por que eu, que trabalho com serviço de cervejas, iria falar sobre um produto que defende o auto serviço?

Pois é, porque eu acredito que o trabalho do sommelier vai muito além de apenas ser um tirador de chope (ou fazer postagens no Instagram!). O ofício do sommelier precisa ainda ser muito discutido. É uma profissão relativamente nova e com todas as mudanças que tivemos em relação a este trabalho e suas funções, e também com o desenvolvimento do mercado nos últimos anos, ainda temos muito a cultivar entre esta relação da cerveja, da experiência e do consumidor.

Para mim, o papel do profissional sommelier de cerveja é traduzir essa bebida tão complexa, que cada vez mais ganha novos significados. No Brasil, como já sabemos, as cervejas mais vendidas (desde meados de 1950) eram apenas da família Lager, as cervejas do estilo Pilsen e American Light Lager. Mas por volta do ano de 2010, novos estilos começaram a surgir nos cardápios de todo o país. As cervejas tradicionais Ale voltaram a circular, com mais intensidade e variedades. Com uma cultura tão enraizada, quando o consumidor se depara com mais de 10, 20, 30 tipos diferentes de sabores, não faz ideia do que gosta. Mas, ele, o cliente, tem a chance de descobrir. E é aqui que entra a minha defesa ao sistema myTapp.

“O myTapp é um sistema Self-Service para cerveja em barril. Desenvolvido no Brasil, ele possibilita a clientes de bares, pubs e eventos a servirem seus copos e serem cobrados por aquilo que servirem.” No site da marca.

Elenquei 3 pontos que eu acho que são importantes de abordar sobre o self-service cervejeiro:

– Fator Sommelier

Como disse ali em cima, o profissional que precisa estudar sobre toda a cultura cervejeira, saber de processos, estudar comportamento de consumo, tendências, tipos de serviço e outras infinidades de assuntos, não precisa necessariamente ficar apenas no salão fazendo atendimento e nem apenas no balcão tirando chope.

Estar junto ao sistema onde o cliente se serve é usar das ferramentas que tem para ajudar o consumidor, da maneira como for necessária. Seja auxiliando com a angulação do copo, seja narrando os sabores que as torneiras tem, sugerindo um prato para combinar ou aconselhando um estilo novo para provar. E com a possibilidade de provar apenas pouco de cada cerveja, uma verdadeira degustação, com liberdade, mas com atendimento de qualidade. Bebendo melhor.

“Usando um cartão com créditos pré-pagos, o cliente da MyTapp paga por mililitro de cerveja consumida”

As pessoas colocam ali seu limite, de custo ou até de volume mesmo. Aqui cabe de cada empresa pensar em como criar campanhas de consumo responsável, ter uma torneira de água potável, e outras ações. O sommelier também pode ajudar nas estratégias de vendas e usufruir de todas as facilidades que o sistema traz.

– Fator Experiência Cervejeira

Eu acredito que as memórias mais fortes são das coisas que podemos vivenciar mais intensamente. Não exatamente uma cerveja muito alcóolica, mas onde temos mais chances de nos conectar. E mexer com uma chopeira, servir seu próprio copo, é uma delas.

Adoro saber da experiência do usuário nesse tipo de serviço. Já fiquei observando as pessoas usando pela primeira vez o sistema. Repara. A grande maioria parece descobrindo algo novo e se orgulhando pelo simples fato que puxar uma torneira, traz cerveja a seu copo! Quase mágico, é cerveja que estamos falando!

O olhar ainda pode ir mais longe, não só dentro do mercado cervejeiro.  É sobre a mudança de cultura de consumo de uma forma geral. Simplificar a experiência de compra é parte da estratégia atual de muitos tipos de loja (veja reportagem da Folha, aqui) e ao que parece, só vai crescer.

– Fator Controle e Gestão

Uma das maiores dores de quem trabalha com chope, é o desperdício. Lembro de observar, com certa gastrite, o tirador de chope fazendo aquela cachoeira de espuma enquanto conversa, derramando dezenas de mililitros que em geral são muito difíceis de contabilizar. Quem tem bar sabe a % de perda. Ou deveria saber. Cerveja no ralo é dinheiro perdido.

O cliente quando se serve em uma torneira bem regulada paga por todo ml que vai para seu copo, e é ele quem escolhe se vai ter pouca ou nenhuma espuma, se quer 15 ou 300 ml.

Uma das coisas mais legais que eu achei do sistema myTapp é poder gerenciar todo o ecossistema de chope dentro do bar. Entrou um barril de 30 litros, engatou e a partir daí, todos os dados de venda/consumo poderão se tornar relatórios, até o barril terminar e ainda contar como foi sua vida.

Dados hoje em dia são os diamantes dos negócios. Precisa entender que muito além da conta de padaria é importante para o setor de cervejas artesanais, que custam muito mais do que uma simples marca mainstream, o bar não querer ser um butiquim de quinta e sim muito profissional. Gestão é olhar tudo, globalmente e tomar decisões que são mais acertadas para o seu negócio.

Há um investimento a ser feito, claro, e por isso sempre tem conta para fazer e colocar no papel. Mas, se o empreendedorismo cervejeiro quer participar da inovação do mercado, com ótimo serviço, cerveja de qualidade e otimismo no bolso, precisa com certeza pensar em assuntos como este. Coloque todos os fatores na planilha.

A tecnologia e a nova geração cervejeira estão sempre na próxima esquina. O que temos certeza é que a cerveja não espera por ninguém, ela como cultura, como sabor, como inovação, está sempre nos deixando para trás e contando nossas histórias.

Saiba tudo de myTapp AQUI

Conheça mais da história dos irmãos que fundaram a marca, matéria da Draft, aqui.

Ouça o episódio Surra de Lúpulo Ep.122 – Autosserviço cervejeiro com Nilana Souza, aqui.

# Este post é parte de um conjunto de publicações que são publicidade com a empresa myTapp, mas refletem a opinião da autora!

Você também pode gostar

Cerveja artesanal um olhar em 2024

O mercado da cerveja artesanal como conhecemos atualmente