20 baladas extintas em Ribeirão Preto que marcaram sua história

20 baladas extintas em Ribeirão Preto que marcaram sua história

- em Empreender, Matérias

Quico Soares, João Wagner, Ricardo Gabarra (proprietário) e Renato Andrande, em frente ao Cabana Verde.

Ribeirão sempre foi lembrada pela noite agitada. Lugarzinhos legais pra ouvir boa música, restaurantes famosos, bares cheios e boates lotadas fazem e fizeram a fama da cidade de Ribeirão.

Se você tem 30 anos ou mais, pode lembrar da sua adolescência nos points da cidade em cada época. E para ajudar no clima de nostalgia nesse final de ano, resolvemos compilar as baladas e lugares mais lembrados pelo ribeirão-pretano, ativos nas décadas de 1980, 1990 e 2000.

1.       Bar Mania

Um dos lugares preferidos dos intelectuais e boêmios da cidade entre as décadas de 1990 e 2000. Gerenciado pelo músico Paulinho Brasília, que também ocupava o palco, o Bar Mania era um espaço onde muitos músicos mostravam seu trabalho e iniciaram carreiras. No início, era localizado na rua Quintino Bocaiúva, passando logo depois para a avenida Nove de Julho, onde permaneceu até o fim.

 

2.       Barbatana

A casa noturna, famosa no final da década de 1990, reunia os adolescentes da época que estavam atrás de paquera e diversão. Havia uma parede de escalada onde alguns aventureiros mostravam suas habilidades. No cardápio, a novidade do momento: crepes de vários sabores. Quem costumava ir aos sábados curtir a pista de dança, se divertia ao som de Psycho Killer, do Talking Heads e Standing Outside the Fire, do Garth Brooks.

 

3. Porão

Entre as décadas de 1990 e 2000, o Porão Liverpower Rock era ocupado pelos roqueiros da cidade. O espaço underground no Centro tinha uma entrada com mesa de sinuca e uma escada que levava para onde importava: um porão sem janelas onde as bandas tocavam e o público fumava sem preocupação.

Bar Agreste. Foto: origem não identificada
Interior do Porão. Fotos: Paula Bitondi
Interior do Porão. Fotos: Paula Bitondi
Bar Flerte. Foto: origem não identificada
Interior do Bronze. Foto: Paula Biondi
Cardápio do Cabana Desenhado pelo ilustrador Renato Andrade
Fachada do bar Chatanooga. Foto: Origem não indentificada
Fachada do Porão Fotos Paula Bitondi
Guitarrista André Cristóvam no palco do Geórgia. Fotos: Renato Lapenta.
Banda Vartroy no icônico palco do Bronze. Fotos: Paula Bitondi
Fachada da Swingers. Foto: Rubens Okamoto
Fachada do The Bar. Foto: Origem não identificada
Fachada da Zoom Discoteca. Foto: Origem não identificada
Fachada do bar Georgia. Foto: Origem desconhecida.
Fachada do bar Georgia. Foto: Origem desconhecida.
Chopp Antarctica no Bar De Graus. Foto: Origem desconhecida
Chopp Antarctica no Bar De Graus. Foto: Origem desconhecida
Splash era onde o pessoal se refrescava e ainda curtia uma balada. Foto: Origem desconhecida
Splash era onde o pessoal se refrescava e ainda curtia uma balada. Foto: Origem desconhecida

4. Samânea

Localizado na Avenida Maria de Jesus Condeixa, o Samânea foi point de grandes festas e eventos. Uma que marcou época no início da década de 2.000 foi a festa Glamazone, voltada para o público LGBT.

5. Senzala

A avenida Treze de Maio foi o grande ponto de encontro dos jovens dos anos 1980 e o Senzala marcou uma geração inteira por ser um dos bares mais movimentados da cidade nesta época.

-Atualmente concordamos que nenhum lugar deveria usar um nome como este (!).

6.       Bronze

O lendário bar de rock sobreviveu na cidade entre 2001 e 2013, passando por dois pontos: na Presidente Vargas e, posteriormente, na Nove de Julho. Na segunda casa havia uma espécie de “guarda-roupas”, um canto que parecia um camarote, bem de frente ao palco, disputado pelos que gostavam do “esconderijo”.

 

7.       Paulistânia

Famoso no fim da década de 1990 até meados de 2014, o Paulistânia passou por três fases. Localizado no Jardim Paulista, o bar atraía rockeiros e metaleiros em um ambiente underground e escuro. Posteriormente, a casa mudou para um bairro mais afastado, voltando, em 2011, para a rua Daniel Kujawski, até quando fechou as portas, em 2014.

 

8.       Geórgia

Um dos bares mais icônicos da noite ribeirão-pretana no início dos anos 2000, o Geórgia, ainda permanece na memória de muitos como uma das melhores casas da cidade. No palco, sempre bandas legais como Balaco, Dr. Ostrócio, MPP, Sun Walk and The Dog Brothers, sendo que muitos começaram suas trajetórias lá.

Renato Lapenta, publicitário e ex-sócio proprietário do Geórgia, conta que o bar trouxe grandes nomes da música nacional (como o guitarrista André Cristóvam, na foto) e que até hoje muita gente lhe pergunta se existe a possibilidade de voltarem com a casa. “A época do Geórgia já passou. Temos outros projetos para a noite de Ribeirão, mas, definitivamente, o Geórgia já cumpriu o seu papel e não volta mais”.

Hoje em dia, o local que era ocupado pelo Geórgia abriga uma unidade do Burger King, na avenida Independência.

 

9.       Zoom

Famosa entre os jovens da década de 1980, a Zoom era ponto de encontro na Avenida Francisco Junqueira. No final de 1995, o espaço passou a sediar apenas festas e eventos particulares, fechando logo em seguida.

 

10. Flerte

Na esquina da avenida Nove de Julho com a rua Garibaldi, onde hoje é uma unidade do Habib’s, o Flerte despontava como bar favorito dos solteiros atrás de companhia. O bar ficou famoso pelo clima de paquera no final dos anos 1980.

 

11.       Chatanooga

Inaugurada em 1978, foi em meados de 1983 que a Chatanooga se tornou ponto de referência da vida noturna de Ribeirão Preto. Mas, em 1998, a boate foi uma das cinco casas noturnas que fecharam as portas repentinamente, junto com a West Club, Catedralle, Dupper, The Club e Downtown. “Bim Chatanooga”, como é conhecido o proprietário da boate, segue promovendo festas de flashback pela cidade e com novos empreendimentos na área de entretenimento e gastronomia.

12.       Agreste

No alto do Morro do São Bento, no Jardim Mosteiro, a larga esquina já abrigou vários empreendimentos. Pista de kart, boliche e casas noturnas. Porém, o Agreste ganhou fama pelos shows de pagode e sertanejo na década de 1990. Atualmente, o Porcada 77 ocupa o local.

 

13.   Cabana Verde

Local favorito da galera “alternativa”, o Cabana Verde era situado na avenida Presidente Vargas e durou de 1991 a 1997. O artista plástico Renato Andrade era assíduo frequentador e nos contou sobre como era o local. “Era uma praia com direito a areia no chão e coqueiros. Foi o pioneiro em servir espetinhos, o Ricardo Gabarra, o dono, foi até Goiânia para conhecer e trazer a “novidade”. Rolava rock, reggae e mpb da melhor qualidade, em fitas K7! Também foi um dos primeiros a vender coco verde geladinho e abertos a facão com maestria, Era aquele bar onde íamos sozinhos na certeza de sempre encontrar uma ótima companhia”.

 

14.   Estação Cultura

Também localizado na avenida Presidente Vargas, o Estação Cultura era ponto de encontro de quem gostava de jazz e blues. No palco, os então moleques do Sun Walk and the Dog Brothers começavam uma carreira promissora.

 

15. Cosmic Bowling

O famoso point de paquera entre os adolescentes entre 1995 e 2000 ficava dentro do RibeirãoShopping. Às sextas-feiras, o programa era ir ao Mc Donald’s – recém aberto – e curtir uma balada no Cosmic Bowling. Quem não lembra das luzes psicodélicas e dos chopes coloridos?

 

16. California Disco Laser

Febre entre os adolescentes nas décadas de 1980 e 1990, a boate California Disco Laser foi um marco para a Vila Tibério. O DJ Tom (que também comandava a programação da rádio Difusora) era o residente da casa. As matinês de domingo deixavam filas quilométricas na porta.

17. Swingers
Uma das baladas mais famosas da cidade no início dos anos 2000 marcou a tradição da vida noturna. Em determinada hora da noite, os garçons fantasiados, faziam performaces loucas no balcão do bar e levavam o público à loucura. Muita gente também relembrava os famosos “passinhos” das pistas dos anos 1990.

18. Splash Park

No início dos anos 2000, o Splash Park foi uma opção de lazer inovadora em Ribeirão. Um parque aquático completo com piscinas de onda para surfe, estrutura para eventos e show, restaurantes e lanchonetes. Localizado entre Ribeirão e Bonfim, o Splash recebeu shows nacionais e internacionais, porém, em meados de 2008, fechou as portas e atualmente é um grande criadouro de dengue. O espaço foi simplesmente abandonado sem qualquer satisfação por parte dos proprietários e até hoje o problema do espaço ainda não foi resolvido.

19. The Bar

Um dos bares preferidos dos adolescentes de 1995 a 1997, o The Bar era um dos points mais famosos da época mais movimentada da avenida Presidente Vargas.

20. Degraus

O Degraus marcou a noite de Ribeirão Preto na década de 1980. Localizado na avenida Treze de Maio, o Degraus recebia o público que começava a noite com um chope gelado e depois ficava na Praça dos Motoqueiros, na mesma avenida.

 

Vamos aumentar essa lista? Se você tiver fotos ou vídeos de outros lugares que marcaram época na noite de Ribeirão Preto, entre em contato com a gente! 🙂

Agradecimentos: Renato Andrade, Beto Leonetti, Evandro Navarro, Paula Bitondi, Renato Lapenta, página I Love Ribeirão Preto, Gláucia Japur, Frederico Rodarte e Antônio Barrionovo.

OBS: E se você conhece os autores das fotos que estão sem crédito, por favor, mande pra gente! 🙂

Você também pode gostar

South Beer Cup e Copa Paulista de Cerveja em Ribeirão Preto

Após hiato durante a pandemia, o South Beer