Vinhos brasileiros atingem melhor desempenho desde 2014 com exportação e premiações

Vinhos brasileiros atingem melhor desempenho desde 2014 com exportação e premiações

- em Beber, Produzir
273

O ano de 2021 nem acabou e o setor vitivinícola brasileiro comemora os resultados nas exportações. De janeiro a novembro, 7,7 milhões de litros de vinhos finos embarcaram para 53 países, um aumento de 91,18%, quase o dobro de 2020. O suco de uva liderou o crescimento percentual com um incremento de 169,73%, chegando a 2,7 milhões de litros no mesmo período em comparação ao ano passado. Já os espumantes tiveram uma aceleração de 32,49% atingindo 869 mil litros. Com estes números, a indústria nacional alimenta boas perspectivas para 2021.

O mundo todo percebe a qualidade da produção nacional. O interesse pelos nossos rótulos é uma realidade cada vez mais presente. “Avançamos na conquista de premiações internacionais e também em parcerias de promoção do vinho brasileiro no exterior que, somados aos investimentos da própria indústria brasileira, têm assegurado esta retomada do mercado externo”, comemora o presidente da União Brasileira de Vitivinicultura (Uvibra), Deunir Luis Argenta. O Brasil é um país continental que hoje produz vinhos em 26 regiões em 10 estados brasileiros. Essa pluralidade de terroirs é única no mundo.

De olho nos países consumidores do vinho brasileiro

Com convênio de parceria assinado com a Apex-Brasil no dia 14 de dezembro, em torno do Projeto Setorial Wines of Brazil, a Uvibra espera seguir promovendo os vinhos e espumantes brasileiros no mercado internacional por meio da participação em feiras, missões comerciais e eventos promocionais.

Os países-alvo do convênio são a China, Estados Unidos, Reino Unido, Portugal e Alemanha, seguidos pelo Chile, Colômbia, Paraguai, Peru e Japão. São R$ 5 milhões, sendo 60% oriundos da Apex-Brasil e 40% em contrapartidas da Uvibra-Consevitis e das vinícolas associadas ao projeto.

FOTO: Almadén Moscatel Frisante Rosé, da Vinícola Almadén, conquistou medalha de ouro na premiação Muscats Du Monde, na França, em setembro de 2021. Uvas são cultivadas na Bahia.

De olho nos países consumidores do vinho brasileiro

Com convênio de parceria assinado com a Apex-Brasil no dia 14 de dezembro, em torno do Projeto Setorial Wines of Brazil, a Uvibra espera seguir promovendo os vinhos e espumantes brasileiros no mercado internacional por meio da participação em feiras, missões comerciais e eventos promocionais.

Os países-alvo do convênio são a China, Estados Unidos, Reino Unido, Portugal e Alemanha, seguidos pelo Chile, Colômbia, Paraguai, Peru e Japão. São R$ 5 milhões, sendo 60% oriundos da Apex-Brasil e 40% em contrapartidas da Uvibra-Consevitis e das vinícolas associadas ao projeto.

Medalhas ajudam no posicionamento do vinho brasileiro

O reconhecimento internacional influencia diretamente na imagem do vinho brasileiro lá fora. Em 2021, 414 medalhas foram arrematadas, 29% a mais que no ano passado.

Com este recorde histórico de premiações, os vinhos e espumantes brasileiros chegam a 5.910 distinções desde 1995. Este ano, o reconhecimento veio de 18 concursos realizados na Argentina, Brasil, Canadá, Chile, Espanha, França, Grécia, Hungria, Inglaterra, Luxemburgo e Portugal.

O maior destaque internacional veio da Inglaterra, onde o Brasil obteve 97 prêmios em dois concursos internacionais realizados em Londres. Na sequência vem a Argentina, que concedeu 66 medalhas aos rótulos brasileiros, e a França, com 56 medalhas em sete concursos internacionais realizados no país do champagne.

Veja AQUI a lista de concursos e os vinhos brasileiros premiados.

EXPORTAÇÃO DE VINHOS, ESPUMANTES E SUCO DE UVA – MERCADO EXTERNO (em litros)

Você também pode gostar

Baile, brasilidade e celebração com Chandon

A Chandon foi por mais um ano o