Álcool em pó já é realidade e quer inovar cadeia produtiva de bebidas

Álcool em pó já é realidade e quer inovar cadeia produtiva de bebidas

- em Bev Hack Lab (BHL), Content Lab, Inovar
Caipirinha poderá ser preparada em qualquer lugar, de forma instantânea | Foto: divulgação

Projeto está em fase experimental no BHL – Bev Hack Lab e possibilita preparo de drinks instantâneos para o consumidor final, além de ser opção inovadora para economia no setor industrial.

Imagine carregar seu drink favorito no bolso, em uma embalagem prática e que pode ser preparado em qualquer lugar, instantaneamente? Isso está perto de se tornar possível graças a uma projeto experimental apelidado de “Stardust”, desenvolvido pelo BHL – Bev Hack Lab -, laboratório integrante do CIT – Centro de Inovação e Tecnologia da Ambev.

O projeto consiste na produção de álcool em pó, que se tornou realidade depois de quase dois anos de pesquisas, inclusive com a geração de uma patente. O novo produto é o pontapé inicial para a criação de possibilidades inovadoras no mercado de bebidas, trazendo mais praticidade para o consumidor final e oferecendo facilidades para fábricas, bares e restaurantes, que podem reduzir significativamente seus custos de transporte e armazenamento de insumos alcoólicos graças à diminuição de peso e demanda por espaço.

A tecnologia também surpreende como uma nova experiência para o cliente final e apresentação de produto final, que pode ir desde uma caipirinha até drinks personalizados a gosto de bartenders e consumidores.

Caipirinha poderá ser preparada em qualquer lugar, de forma instantânea | Foto: divulgação

DESAFIOS DA INOVAÇÃO

O projeto ainda está em fase experimental, mas a equipe do laboratório já se mostra otimista diante dos resultados finais e das inúmeras possibilidades do produto. “Esta é uma tecnologia que pode transformar o modo com que as pessoas consomem bebidas e também ser uma disrupção para indústrias deste setor.”, afirma José Virgílio Braghetto Neto, gestor do BHL.

Ainda não há previsão de quando Stardust estará disponível no mercado, porém já estão sendo feitos estudos de embalagem tipo cápsula e pouch para o consumidor final. Como ainda não há uma categoria para este tipo de produto no Brasil, o caminho regulatório ainda será desbravado junto aos órgãos públicos responsáveis pela autorização de alimentos e bebidas. Por outro lado, a possibilidade de uso como insumo industrial para o segmento B2B é imediata e pode impactar significativamente o setor todo. 

Projeto Stardust pode revolucionar o mercado de bebidas com grande economia de recursos | Foto: divulgação

SOBRE O BHL

O BHL – Bev Hack Lab – é um braço do CIT – Centro de Inovação Tecnológica, com mindset de garagem de inovação e 100% experimental. O laboratório conta com uma equipe enxuta de cientistas e é responsável por pesquisas e desenvolvimento de produtos que andam à margem do principal mercado consumidor de bebidas, com novos olhares para o consumo através de experiências e melhorias que impactam positivamente a vida dos consumidores.

Confira outras inovações do Bev Hack Lab AQUI.

 

Você também pode gostar

Um alimento ancestral e contemporâneo, a mandioca está viva

Dias atrás eu vi um post do chef